Blog

Endometriose tem sido um tema recorrente nos nossos posts. Talvez seja pela alta prevalência desta enfermidade que atinge cerca de 15% das mulheres em idade reprodutiva ou seja pelas sérias complicações relacionadas a ela. O fato é que a Endometriose é um dilema tanto para a mulher que padece deste mal quanto para os médicos devido à dificuldade de se estabelecer o diagnóstico e tratamento eficazes e eficientes.

Talvez eu não compreenda a dimensão do que és, na verdade não a tenho, embora possa te compreender e desfrutar do presente que és tu na minha vida. Quando te vejo, em tua alma, envergonho-me da minha pequenez; quando te assisto dormir, quero estar em teus...

SER MÃE.... Antes de ser mãe eu nunca imaginei que uma coisinha tão pequenina pudesse mudar tanto a minha vida. Eu nunca imaginei que pudesse amar alguém tanto assim. Eu não sabia que adoraria ser mãe. Eu não conhecia a felicidade de alimentar um bebê faminto. Eu não conhecia esse laço que existe a mãe e a sua criança. Eu não imaginava que algo tão pequenino pudesse fazer-me sentir tão importante. Eu não sabia que era capaz de ter sentimentos tão fortes. Por tudo e, apesar de tudo, obrigada Deus, por eu ser agora um alguém tão frágil e tão forte ao mesmo tempo. Obrigada Deus por permitir-me ser Mãe!

Quem é este que ousa olhar-me com olhos de inquisidor? Que me analisa, tira as minhas medidas, pressiona  meu rostinho amassando as minhas bochechas e teima em ficar olhando entre as minhas perninhas? O que tanto ele procura lá? Não me deixa quieto, sempre me virando de um lado para outro e o que é pior: no meio do melhor do meu soninho... Apesar desses aborrecimentos, percebo que uma onda de bons sentimentos enche o meu coraçãozinho e logo ouço a voz da minha mãe, percebo que de alguma forma todo este desconforto momentâneo que sinto deve ser para algo muito bom. Então lá vai, vou tirar bem rápido minhas mãos e pés da frente do meu rostinho e deixar que ele grave este momento. Pra você e por você, mãe.

O principal sintoma do cálculo renal é a dor abdominal que pode ser de intensidade moderada a severa, usualmente necessitando de internação para controle da dor com analgésicos administrados por via venosa. A associação com náuseas e vômitos pode acompanhar o quadro álgico. Eventualmente o paciente pode apresentar hematúria (sangue na urina), febre baixa e ardor ao urinar. A ultrassonografia é um excelente método para rastrear a localização do cálculo, observando se está impactado no ureter (fino tubo muscular que transporta a urina do rins para a bexiga), na bexiga  e mesmo na uretra. Avaliar se há ou não dilatação renal associada é uma informação importante, bem como analisar a textura renal à procura de alterações como cistos, cicatrizes provenientes de sequelas de processos infecciosos e redução nas dimensões do rim.

O tumor de Wilms é a 5ª neoplasia mais comum da faixa pediátrica. A cada ano 500 novos casos são diagnosticados nos Estados Unidos, acometendo os dois rins  em 6% dos casos. Pode ocorrer em três condições clínicas diferentes: de forma ocasional; acompanhando síndromes genéticas ou ainda ser de origem familiar. Geralmente se manifesta em crianças na faixa etária de 3,5 anos. O principal sinal que leva a suspeita clínica é a presença de massa palpável associada ou não a dor abdominal. Outros sinais que podem acompanhar este tumor são hipertensão, anemia e presença de sangue na urina.

Cerca de 25% das consultas do gastroenterologista pediatra é decorrente da suspeito de Refluxo Gastro-Esofageano (RGE). Basicamente existem dois tipos de refluxo, o fisiológico que está presente em até 95% dos recém-nascidos e lactentes, mas que em geral não leva a alterações no seu desenvolvimento e ganho de peso, desaparencendo antes da criança completar 18 meses de vida, em 60% dos casos. O RGE patológico tem como principais sintomas: vômito, choro, irritabilidade, baixo apetite, tosse crônica, dor no peito ou no abdome e nos casos mais severos pode levar a pneumonia por passagem do conteúdo gástrico para os pulmões e alterações na motilidade e no calibre interno do esôfago.

Mesmo com o advento dos examens de imagens e dos ensaios bioquímicos, o diagnóstico de gestação ectópica, por vezes é uma difícil tarefa, o que faz com que a gestação ectópica, mesmo em países industrializados, ainda seja a principal causa de morte materna no primeiro...

A dor pélvica, aguda ou crônica é uma queixa frequente nos consultórios dos ginecologistas. A palpação de massas nos anexos e avaliação de que a massa palpada se trata de enfermidade de tratamento cirúrgico ou conservador, de patologia benigna ou maligna é também um problema frequentemente enfrentado pelos ginecologistas.